Algumas informações para o desenvolvimento do seu projeto científico

Dentro da ciência, uma pesquisa científica é o conjunto de ações tomadas quando se tem o objetivo de encontrar a solução para um problema. Essas ações têm como base procedimentos operacionais e sistemáticos. Por isso, é tão comum que você escute seus professores dizendo que toda pesquisa parte de um problema. Justamente porque você precisa chegar a uma solução para ele. Mas essa solução não pode partir de um achismo. Ela tem que ser embasada em conhecimento científico, ou seja na ciência. Por isso, surgiram formas de analisar a pesquisa científica. Você pode analisá-la de três formas:

  1. quanto à natureza (ou enfoque) da pesquisa: 
  2. quanto aos objetivos: 
  3. quanto aos procedimentos: 

1) Quanto à natureza

A natureza da pesquisa diz respeito à finalidade, à contribuição que ela trará à ciência. Quanto à natureza, as pesquisas podem ser classificadas como básicas ou aplicadas.

a) Pesquisa básica: a pesquisa básica – também conhecida como fundamental – é a que tem o objetivo de gerar conhecimentos para a ciência sem que estes tenham uma aplicação prática prevista, ou seja, a finalidade da pesquisa básica não é imediata. Geralmente, as pesquisas básicas produzem conhecimentos para as pesquisas aplicadas

b) Pesquisa aplicada: a pesquisa aplicada tem o objetivo de gerar conhecimentos de aplicação prática para problemas específicos. Envolve verdades e interesses locais.

2) Quanto aos objetivos

Quantos aos objetivos a pesquisa científica pode ser: exploratória, descritiva ou explicativa.

a) Pesquisa exploratória: é aquela que está em sua fase preliminar e objetiva conquistar maior familiaridade com o problema. É desenvolvida quando ainda não há tantos dados e informações disponíveis sobre um tema, mas se percebe que ele poderá ser alvo de pesquisas futuras. A pesquisa exploratória costuma estar associada à pesquisa bibliográfica e ao estudo de caso, que é aquele em que o pesquisador levanta dados sobre indivíduos ou comunidades específicas (falaremos mais adiante). Por estar em uma fase tão inicial e não existirem tantas informações disponíveis sobre o assunto, a pesquisa exploratória tende a exigir um esforço maior do pesquisador.

b) Pesquisa descritiva: é aquela que descreve um fenômeno ou objeto de estudo (população, empresa, governo, situação-problema) e estabelece relações entre as suas variáveis. Em outras palavras, ela levanta e registra as características de um determinado fenômeno, como por exemplo: a distribuição por sexo e idade de um determinado grupo ou ainda as pesquisas eleitorais e as preferências político-partidárias da população. Costumam ser utilizados instrumentos de coleta de dados padronizados, como questionários e observação sistemática.

c) Pesquisa explicativa: é a que exige um maior grau de complexidade. Por isso, é comum vê-la em dissertações de mestrados e em teses de doutorado. Elas têm como preocupação central identificar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos fenômenos. É o tipo de pesquisa que mais aprofunda o conhecimento da realidade, porque explica a razão, o porquê das coisas. A maioria das pesquisas explicativas são classificadas como experimentais e ex-post facto (falaremos mais adiante). Obviamente a pesquisa explicativa se baseia em estudos anteriores, como em pesquisas descritivas e exploratórias.

3) Quanto aos procedimentos

Os procedimentos para a pesquisa são classificados em dois grupos. No primeiro, estão aqueles cujas informações vêm de fontes “de papel”. Nele se incluem a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental. Já o segundo grupo é composto por dados fornecidos por pessoas. Nele estão a pesquisa experimental, a ex-post facto, estudo de coorte, o levantamento, estudo de campo e o estudo de caso. Neste último, ainda podem ser incluídas a pesquisa-ação e a pesquisa participante.

a)Pesquisa Bibliográfica: é baseada em materiais já elaborados, em especial, livros e artigos científicos. Sua principal vantagem é permitir, ao investigador, uma ampla cobertura dos fenômenos.

b)Pesquisa Documental: difere-se da bibliográfica pela natureza das fontes. A base da pesquisa documental são os documentos. Podem ser, por exemplo, cartas, diários, ofícios, regulamentos, correspondências pessoais, etc

c) Pesquisa Experimental:  ocorre quando há a delimitação de um objeto de estudo, a seleção das variáveis que seriam capazes de influenciá-lo e a definição das formas de controle e de observação que a variável produz no objeto. Testes em laboratórios costumam ser resultados de pesquisas experimentais, já que o pesquisador tem o controle de toda a situação. Ele pode simular situações, analisá-las, compará-las e tirar conclusões sobre elas.

d) Estudo de Caso: comum nas pesquisas exploratórias. Consiste em um estudo profundo e exaustivo de um ou de poucos objetos, tendo como propósitos: i) Explorar situações da vida real ainda não-definidas; ii) Preservar o caráter unitário do objeto estudado; iii) Descrever a situação do contexto em que está sendo feita a investigação; iv) Formular hipóteses e/ou desenvolver teorias; v)Explicar as variáveis causais do fenômeno em situações complexas.Pesquisa-ação

e) Pesquisa-ação: nessa os pesquisadores se envolvem ativamente com o grupo de pessoas do problema a ser estudado e solucionado. Esse envolvimento acontece de forma cooperativa ou participativa.

f) Pesquisa-participante: é aquela em que o objeto de estudo do pesquisador (por exemplo, uma comunidade) se envolve na análise de sua própria realidade. Ela tem um caráter de participação social e busca promover uma transformação social para aquele público.

g) Pesquisa Ex-Post Facto = “a partir do fato passado”: A análise, portanto, realiza-se depois dos fatos e visa verificar a existência de relações entre as variáveis. Em palavras mais simples, a pesquisa ex-post facto pretende entender como um fato passado impacta um grupo no presente ou irá impactar no futuro. Diferentemente da pesquisa experimental, entretanto, o pesquisador não possui controle sobre a situação visto que ela já ocorreu.

Algumas questões sobre os processos de desenvolvimento da pesquisa

Observação e Problema
Qual é seu objetivo?
Qual é a ideia que você está tentando testar?
Qual é a pergunta científica que você está tentando responder?
 
Hipótese
Pense como seu projeto pode demonstrar seu propósito ou objetivo.
Faça uma previsão dos resultados do experimento.
Liste os resultados previstos em termos mensuráveis.
 
Procedimento para testar a hipótese
Explique com detalhe como seu experimento será executado e como ele vai testar sua hipótese.
Identifique as variáveis (elementos do experimento que mudam para testar a hipótese) e os controles (elementos do experimento que não mudam).
Especifique como as medidas dos resultados vão provar ou refutar sua hipótese.
Este procedimento deve ser como uma receita: uma outra pessoa deve poder executar o experimento seguindo o procedimento. Teste com um amigo ou parente para verificar que o procedimento está claro e completo.
Liste os materiais e os equipamentos que serão utilizados.
Esta lista deve incluir todos os equipamentos necessários para o procedimento.
 
Analise os resultados

Explique suas observações, dados e resultados.
Liste os pontos principais que você aprendeu.
Por que você obteve estes resultados? O que seu experimento provou?
Sua hipótese estava correta? Seu experimento provou ou refutou sua hipótese? Explique em detalhes.
 
Conclusão e Reprodução
Responda ao problema ou à afirmação elaborada.
Qual é o valor de seu projeto?
Dados os resultados de seu experimento, qual seria a próxima pesquisa a ser desenvolvida? Qual seria a próxima pergunta a ser feita?
 
Reprodução
Se você tivesse que refazer a pesquisa, o que você mudaria?