APROVEITAMENTO DO RAMO SECO DA PALMEIRA MAURITIA FLEXUOSA COMO RECURSO DIDÁTICO

Ciências Sociais Aplicadas

ID 039-2020
Anos Iniciais do Ensino Fundamental

4ª FEMIC Júnior

Autores

Geovanna de Queiroz Veras
Ana Livia Leitão de Souza Cruz
Carlos Alberto dos Anjos Ribeiro
Franco Junior Marval Javier (Orientador)

Boa Vista, RR

Escola Anjo da Guarda

FLIPBOOK do Trabalho

Convidamos você a apreciar esta pesquisa e ser testemunha desta iniciativa na área da investigação, já que contribui no aproveitamento do ramo seco da palmeira do Buriti para os desenvolvimentos sustentáveis nas escolas do estado de Roraima.

[3d-flip-book mode="fullscreen" id="1475" ][/3d-flip-book]

REsumo Científico

Este trabalho tem como objetivo produzir recursos didáticos a partir do ramo seco da Palmeira Mauritia flexuosa para uso escolar. A falta de material didático tem consequências negativas nas 33 comunidades indígenas do estado que conta com uma extensão territorial de 224.300 km². Partiu-se da hipótese de que o ramo seco da palmeira, abundante no estado de Roraima possui uma estrutura leve e protegida por uma casca que serve como matéria prima na confecção de brinquedos no Pará-Brasil, sendo ela uma estrutura fácil de moldar, o ramo pode servir como recurso didático nas escolas rurais do estado que não dispõem de suficientes materiais escolares. A justificativa aprofunda o uso da tecnologia atual com pequenos empreendimentos, fortalecendo a conservação do planeta terra, usando material oferecido pelo meio ambiente sem comprometer o seu equilíbrio ecológico. A metodologia é experimental e qualitativa, porque define estruturas do meio exterior para que não haja nenhum tipo de interferência. A técnica é de observação direta, visando o tempo de vida do produto e as respostas são obtidas por meio dessa análise prolongada. Foi feito um material leve juntando várias estruturas sem casca e se obteve uma placa chamada pelos autores como o “Isopor biodegradável”. Compõe um excelente material que pode ser moldado, podendo produzir formas geométricas e confeccionar maquetes em trabalhos escolares. Aproveitaram-se restos de lápis de cor usando ramos de diâmetro de 15 mm, compondo assim um tamanho apropriado para crianças. As capas protetoras de borracha e dos apontadores são resistentes porque não quebra e nem dobra. O estojo confeccionado oferece uma boa utilidade devido a sua semelhança a um pote cilíndrico com tampa que ao abrir e fechar, é prático para guardar os lápis. Aproveitando a casca do material, se precedeu a confeccionar réguas com escalas centimétricas e milimétricas. Em geral, o uso de objetos de perfuro cortantes deve ser sempre com a presença de um adulto.

Para qualquer dúvida, envie um email para os autores

É proibida a reprodução, a distribuição, a transmissão, a exibição, a publicação ou a divulgação, total ou parcial, sem prévia e expressa autorização dos autores e a FEMIC – Feira Mineira de Iniciação Científica.


Coordenação geral: Fernanda Aires Guedes Ferreira
Vice Coordenação: Larissa Amaral Diniz Tomaz
contato@femic.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui