VALIDAÇÃO DE METODOLOGIAS ALTERNATIVAS PARA ESTUDO DE PROPRIEDADES QUÍMICAS ATRAVÉS DA PLANTA IPÊ-ROXO

Ciências Exatas e da Terra

ID 411-2020
Profissionais diversos

4ª FEMIC Mais

Autores

Larissa Amaral Diniz Tomaz, Fernanda Nobre Amaral Villani, Fernanda Aires Guedes Ferreira, Glaucia Soares Barbosa

Mateus Leme, MG

Escola Estadual Elias Salomão e Associação Mineira de Pesquisa e Iniciação Científica

FLIPBOOK do Trabalho

O objetivo deste trabalho foi elaborar e validar metodologias investigativas para o estudo de química por meio de plantas.

[3d-flip-book mode="fullscreen" id="2131" ][/3d-flip-book]

REsumo Científico

O objetivo deste trabalho foi elaborar e validar metodologias investigativas para o estudo de química por meio de plantas. A planta selecionada como modelo foi a Handroanthus impetiginosus, conhecida popularmente como Ipê-roxo. Inicialmente, foram realizados levantamentos bibliográficos, visando identificar os compostos químicos. Os resultados obtidos foram organizados em tabelas, de modo a identificar o melhor tipo de solvente e o melhor método de extração química. Diante dos dados, foram coletadas amostras dos órgãos da planta, que possui caule com entrecasca rica no composto químico lapachol, substância reconhecida por suas propriedades químicas e medicinais, para montagem de exsicatas, registro em herbário e classificação da espécie. Diante dos resultados, foram conduzidos experimentos para a produção de extratos, em destilação simples, utilizando dois tipos de solventes (cetônicos e etanólicos). Ambos foram aplicados em testes toxicológicos em larvas de Tenebrio molitor. Também foram realizados o teste bacteriológico, com objetivo de identificar se o extrato apresentava propriedade antimicrobianas e o teste indicador ácido-base usando o lapachol, com o objetivo de identificar a cor da substância conforme o indicador, ácido ou base. É perceptível a dificuldade dos alunos em compreender conteúdos das ciências exatas, dentre elas da Química. Essa dificuldade pode ser minimizada, ou até mesmo superada, através da utilização de aulas práticas investigativas, que auxiliam na compreensão dos temas abordados e em suas aplicações no cotidiano, já́ que proporcionam uma relação entre teoria e prática, além de um maior envolvimento dos estudantes (MERÇON, 2003). A partir dos resultados alcançados foi elaborado um jogo de tabuleiro chamado ‘’QuiPlant’’, com o objetivo de ensinar química através do estudo de plantas de forma fácil e divertida.

Para qualquer dúvida, envie um email para os autores

É proibida a reprodução, a distribuição, a transmissão, a exibição, a publicação ou a divulgação, total ou parcial, sem prévia e expressa autorização dos autores e a FEMIC – Feira Mineira de Iniciação Científica.


Coordenação geral: Fernanda Aires Guedes Ferreira
Vice Coordenação: Larissa Amaral Diniz Tomaz
contato@femic.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui