ID 322-2020 A EDUCAÇÃO “NÃO FORMAL” DOS TRABALHADORES BELORIZONTINOS NOS INÍCIO DO SÉCULO XX: UM ESTUDO DE CASO DAS ASSOCIAÇÕES OPERÁRIAS

Ciências Humanas

ID 322-2020
Universitários

4ª FEMIC Mais

Autores

Daniela Oliveira Ramos dos Passos, Nicole Marine de Assis e Walter Cardoso Neto

Belo Horizonte, MG

Universidade do Estado de Minas Gerais

FLIPBOOK do Trabalho

O presente projeto de pesquisa visa identificar as principais ideias e propostas direcionadas para a educação dos trabalhadores em Belo Horizonte durante a construção da cidade e as primeiras décadas do século XX.

[3d-flip-book mode="fullscreen" id="2145" ][/3d-flip-book]

REsumo Científico

O presente projeto de pesquisa reside na proposta de investigar a formação do movimento operário dos trabalhadores belorizontinos no início do século XX e a luta em prol de melhores condições de trabalho e vida, passando pela possibilidade de instrução pedagógica da classe trabalhadora. Pensar a luta por uma educação (moral e cívica) dos operários, por parte das entidades classistas (ora citadas), o que simboliza na oferta de cursos noturnos para operários até a promoção de atividades educativas, por meio de seus periódicos e das palestras e conferências ofertadas pelas entidades classistas. Como objetivos pretendemos: Entender o processo de construção da cidade de Belo Horizonte, como sede da nova Capital mineira, e sua constituição dentro da modernidade republicana; Apreender a cidade como espaço educador e formador de seus habitantes, e como isso se faz presente nos projetos que tratam das reformas urbanas; Analisar o movimento das classes trabalhadoras belorizontina, que também esta em fase de construção, juntamente com a cidade; Abordar as pautas de luta dos operários na nascente capital mineira, entre elas o projeto de educação dos trabalhadores; Identificar, nos jornais operários e nos estatutos das associações classistas a necessidade de dimensionar a luta dos trabalhadores em prol da formação pedagógica (criação de escolas de ensino regular) tanto para os operários quanto para os seus filhos. Assim esse trabalho visa identificar as principais ideias e propostas direcionadas para a educação dos trabalhadores em Belo Horizonte durante a construção da cidade e as primeiras décadas do século XX. O estudo se dará a partir da análise das associações trabalhistas e seus respectivos jornais, entre os anos de 1893 à 1930.

Para qualquer dúvida, envie um email para os autores

É proibida a reprodução, a distribuição, a transmissão, a exibição, a publicação ou a divulgação, total ou parcial, sem prévia e expressa autorização dos autores e a FEMIC – Feira Mineira de Iniciação Científica.


Coordenação geral: Fernanda Aires Guedes Ferreira
Vice Coordenação: Larissa Amaral Diniz Tomaz
contato@femic.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui