USO DA MINERAÇÃO DE DADOS PARA ANÁLISE DE GÊNERO NOS CURSOS TÉCNICOS DA COMPUTAÇÃO DO IFBA

Ciências Exatas e da Terra

ID 281-2020
Anos Finais do Ensino Fundamental Ensino Médio/Técnico

4ª FEMIC Jovem

Autores

Aline de Novais Brandão
Luanna Azevedo Cruz (Orientadora)
Renata Oliveira Silva (Coorientadora)

Seabra, Bahia

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Seabra

FLIPBOOK do Trabalho

Este trabalho identificou, utilizando a Mineração de Dados, o caráter e a amplitude da participação de meninas e mulheres em cursos técnicos do nível médio da área da Computação, ofertados pelo Instituto Federal da Bahia.

[3d-flip-book mode="fullscreen" id="1799" ][/3d-flip-book]

REsumo Científico

A presença das meninas e mulheres em cursos da área da Computação ainda é inferior à masculina, quando comparadas. Dessa forma, o objetivo desta pesquisa é traçar, por meio do Processo de Descoberta de Conhecimento em Banco de Dados e da Mineração de Dados, uma análise de gênero nos cursos técnicos da área da Computação, ofertados pelo Instituto Federal da Bahia (IFBA). A pesquisa foi desenvolvida em cinco etapas que compreenderam as seguintes ações: levantamento bibliográfico; levantamento de dados do Sistema Unificado de Administração Pública; aplicação do formulário “Mulheres na área da Computação na rede IFBA”; Mineração de Dados com o software Weka; e análise dos resultados obtidos. Os resultados mostraram que as estudantes, em sua maioria: ingressaram na área por influência de familiares e amigos, e não por afinidade; já se sentiram inseguras e desestimuladas em algum momento do curso, pensando em abandoná-lo; reconhecem a existência da disparidade de gênero em seu ambiente escolar, apontando esse como um dos fatores responsáveis pelo desestímulo vivenciado; consideram que ter mulheres como docentes nessa área tem uma influência positiva no processo de ensino-aprendizagem. Além disso, foi constatado que no Campus Seabra – cenário que configura o foco desta pesquisa –, as meninas são maioria dentre os ingressantes nos cursos da Computação, mas também são maioria dentre os discentes que evadem nesses cursos. Assim, concluímos que as mulheres e meninas têm uma presença representativa nos cursos técnicos da Computação ofertados pelo IFBA, ainda que essa área seja predominantemente masculina. É preciso refletir, entretanto, de que maneira as desigualdades de gênero que perduram nesse âmbito se configuram, a fim de que estratégias que assegurem a participação e a continuação do público feminino nessa área sejam desenvolvidas.

Para qualquer dúvida, envie um email para os autores

É proibida a reprodução, a distribuição, a transmissão, a exibição, a publicação ou a divulgação, total ou parcial, sem prévia e expressa autorização dos autores e a FEMIC – Feira Mineira de Iniciação Científica.


Coordenação geral: Fernanda Aires Guedes Ferreira
Vice Coordenação: Larissa Amaral Diniz Tomaz
contato@femic.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui