S.O.S QR CODES UTILIZAÇÃO DE ACESSÓRIOS FEITOS COM RESÍDUOS DA ARAUCÁRIA ANGUSTIFÓLIA COMO ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL NO AUXÍLIO DO SOCORROS AS VÍTIMAS

Ciências Sociais Aplicadas

ID 415-2020
Anos Finais do Ensino Fundamental Ensino Médio/Técnico

4ª FEMIC Jovem

Autores

Lucas de Lara Alves
Maria Carolinna Lopes Bonfim
João Pedro Crevonis Galego (Orientador)
Malvina Isabel Marquito (Coorientadora)

Curitiba, Paraná

Colégio Estadual Emílio de Menezes Arthur Sales Major

FLIPBOOK do Trabalho

Acessórios produzidos a partir de resíduos e com QR Code, uma proposta para disponibilização informações básicas para o atendimento de emergência.

[3d-flip-book mode="fullscreen" id="1786" ][/3d-flip-book]

REsumo Científico

Atualmente há uma necessidade no aumento da agilidade na disponibilização de informações necessárias aos primeiros atendimentos às vítimas. Em alguns casos, o paciente se encontra desacordado ou impossibilitado de passar informações. Para otimizar o atendimento e fornecer dados importantes ao socorro, o projeto alia informação a tecnologia. Atendendo a esse intuito, é elaborado uma ficha médica, contendo informações básicas e necessárias aos atendimentos (realizados por ambulâncias), tais como tipo sanguíneo,doenças ou alergias a medicamentos, onde tudo isso é rapidamente disponibilizado pelo acesso a um ¨QR Code¨ localizado em um acessório,como um colar. Os QR Codes, direcionam para fichas médicas de forma rápida, por intermédio de algo que é quase de posse de todos, o celular. Quase todos os aparelhos novos já vêm de fábrica com a função “leitor de código” na câmera e os que não possuem, de forma gratuita, pode baixar aplicativos móveis. A fabricação desse tem cunho inovador, sendo produzido a partir de resíduos da Araucária angustifólia, as cascas do pinhão e o sapé, além da serragem trazendo assim, sustentabilidade, tecnologia e qualidade de vida à sociedade. Os protótipos de pingentes foram realizados de diversas formas almejando o melhor resultado estético. Esses protótipos foram testados quanto a sua resistência a impactos e sua impermeabilização, onde alguns apresentaram bons resultados. Portanto, a forma idealizada para a disponibilização de informações agiliza os primeiros socorros, auxiliando os socorristas na identificação do paciente, além de atingir uma melhor eficiência no atendimento, pois saberá se o mesmo é portador de alguma alergia, incompatibilidade a medicação ou diabetes (já que é comum o paciente sofrer desmaios, devido a excesso ou falta de glicose, ficando inviabilizado de passar informações), desse modo, acessórios feitos com materiais sustentáveis e de baixo custo acarretam em diversos impactos e diretamente na qualidade de vida de todos.

Para qualquer dúvida, envie um email para os autores

É proibida a reprodução, a distribuição, a transmissão, a exibição, a publicação ou a divulgação, total ou parcial, sem prévia e expressa autorização dos autores e a FEMIC – Feira Mineira de Iniciação Científica.


Coordenação geral: Fernanda Aires Guedes Ferreira
Vice Coordenação: Larissa Amaral Diniz Tomaz
contato@femic.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui