FEMINISMO E REDES SOCIAIS: UM ESTUDO DE CASO DE PUBLICAÇÕES ANTIFEMINISTAS NO INSTAGRAM E TWITTER

Ciências Sociais Aplicadas

ID 524-2020
Anos Finais do Ensino Fundamental Ensino Médio/Técnico

4ª FEMIC Jovem

Autores

Luiza Boschetti Ajala
Valéria Gonçalves dos Santos
Felipe Vitório Lucero (Orientador)
Stélla Carolina Carvalho Franco (Coorientador)

Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Escola Estadual Dolor Ferreira de Andrade

FLIPBOOK do Trabalho

A pesquisa analisa duas contas de redes sociais – Por que o feminismo não deveria existir (Twitter @feminismoinutil); Contra o feminismo (Instagram @contraofeminismo) – que propagam discursos equivocados e comentários agressivos sobre o feminismo.

[3d-flip-book mode="fullscreen" id="1680" ][/3d-flip-book]

REsumo Científico

A pesquisa analisa duas contas de redes sociais – Por que o feminismo não deveria existir (Twitter @feminismoinutil); Contra o feminismo (Instagram @contraofeminismo) – que propagam discursos equivocados e comentários agressivos sobre o feminismo. Esses dois perfis selecionados são uma gota no mar de interações das mídias digitais. Há a preocupação de desmitificar tais concepções para ressaltamos a importância do movimento feminista numa sociedade que estruturalmente é marcada pelo patriarcado, misoginia e machismo. Como referencial teórico é utilizado Garcia (2011) e Belloni (2001) para contextualizar a questão do feminismo e a atuação midiática, respectivamente. A pesquisa é caracterizada por um estudo de caso com o método de análise de conteúdo, seguindo Bardin (2011), e uma modalidade de netnografia, segundo Kozinets (2014). A perspectiva é qualitativa exploratória, dentro de uma seleção de três post, o conceito de violência simbólica de Pierre Bourdieu será utilizado como uma guia para essa análise. Os resultados concentram-se no recorte de três publicações e no estabelecimento de uma categoria de análise: a mistificação em torno da supremacia feminista no feminismo. Durante o estudo percebemos que o feminismo é um movimento bastante propagado e discutido nas redes sociais, existindo uma dualidade, entre posts de negação e agressivos, e posts de afirmação e apoio ao feminismo. Limitando-se apenas nas postagens negativas e agressivas contra o feminismo, verificou-se que muitas vezes o conteúdo é agressivo e equivocado, generalizando o movimento que é amplo, com várias versões, vertentes e pensamentos diferentes dentro dele.

Para qualquer dúvida, envie um email para os autores

É proibida a reprodução, a distribuição, a transmissão, a exibição, a publicação ou a divulgação, total ou parcial, sem prévia e expressa autorização dos autores e a FEMIC – Feira Mineira de Iniciação Científica.


Coordenação geral: Fernanda Aires Guedes Ferreira
Vice Coordenação: Larissa Amaral Diniz Tomaz
contato@femic.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui