INVESTIGAÇÃO DA PORCENTAGEM DE ÁLCOOL ANIDRO CONTIDO NA GASOLINA COMUM DOS POSTOS DA CIDADE DE UBERLÂNDIA

Ciências Exatas e da Terra

ID 353-2020
Ensino Médio/Técnico

4ª FEMIC Jovem

Autores

Giovanna Maria Rodrigues Costa, Julia Aparecida Rodrigues Costa, Mayne Vitória Gonçalves da Silva, Guilherme dos Santos Martins Dias (Orientador), Caroline Martins Araújo Teles Dias (Coorientadora), Maísa Gonçalves da Silva (Coorientadora)

Uberlândia, MG

Escola Estadual Segismundo Pereira

FLIPBOOK do Trabalho

O projeto visa entender os impactos ambientais dos diferentes tipos de combustíveis, principalmente no caso de combustíveis adulterados. Sendo assim, o grupo recolheu amostras de gasolina de alguns postos para averiguar o percentual de álcool.

[3d-flip-book mode="fullscreen" id="1887" ][/3d-flip-book]

REsumo Científico

Este projeto foi desenvolvido por três alunas do Grupo de Estudos e Pesquisas em Inovações Tecnológicas (GEPIT) do Colégio de Aplicação – Escola de Educação Básica / ESEBA – UFU e um doutorando em Matemática pela Universidade Estadual de Campinas. Uma vez que o GEPIT tem como foco principal a sustentabilidade, o tema de pesquisa proposto pelo grupo foi o estudo dos combustíveis bem como os impactos ambientais por eles causados, visando principalmente a análise sobre a qualidade da gasolina nos postos da cidade de Uberlândia. Um dos principais componentes da gasolina é o álcool anidro. A pesquisa baseou-se em questões como “Por que é acrescentado etanol na gasolina?”, “Qual a quantidade obrigada pela lei?”, “Quais as consequências de colocar mais ou menos etanol na gasolina?”. A metodologia foi dividida em duas partes, uma referente à pesquisa e leitura de textos sobre o assunto e outra que se deu por meio de experimentos com amostras de gasolinas comuns de alguns postos da cidade de Uberlândia, para averiguar se esta regulamentação está sendo seguida. Desde março de 2015, o percentual obrigatório de álcool anidro na gasolina comum é 27%. Vale destacar que houve uma preocupação em selecionar postos sem bandeira, pois muitos acreditam que postos sem bandeira possuem uma qualidade de gasolina inferior. Nos experimentos realizados, em todas as amostras de gasolinas comuns, o percentual de álcool obtido foi menor do que 27%. Pode-se observar que o percentual nos postos sem bandeira não são diferentes de alguns postos com bandeira. Por fim, vale ressaltar que gasolinas com um percentual baixo de álcool em sua composição liberam uma quantidade maior de monóxido de carbono, além de possuir um índice de compressão mais baixo, o que pode provocar um aumento na temperatura em motores de alta compressão.

Para qualquer dúvida, envie um email para os autores

É proibida a reprodução, a distribuição, a transmissão, a exibição, a publicação ou a divulgação, total ou parcial, sem prévia e expressa autorização dos autores e a FEMIC – Feira Mineira de Iniciação Científica.


Coordenação geral: Fernanda Aires Guedes Ferreira
Vice Coordenação: Larissa Amaral Diniz Tomaz
contato@femic.com.br

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui